Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade – Ele é Real?

Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade – Ele é Real?

830
Compartilhe

Sim, o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade existe e é uma doença neuropsiquiátrica crônica, que se inicia na infância, mas que pode acompanhar o indivíduo ao longo de seu desenvolvimento. Muitos adolescentes e adultos deixam de manifestar os sintomas do TDAH naturalmente conforme se desenvolvem, mas cerca de 50% das pessoas com o transtorno continuam manifestando os sintomas do TDAH ao longo da vida adulta.

As causas do TDAH ainda não são completamente compreendidas. Porém, os estudos apontam para a necessidade de uma combinação de fatores ambientais, genéticos e biológicos para a manifestação do TDAH.

O diagnóstico do TDAH é predominantemente clínico, ou seja, baseado na observação e relato dos sintomas pelo paciente – e, no caso de crianças e adolescentes, também pelo relato de seus pais. Os sintomas são avaliados pelo médico especializado de acordo com o Manual de Estatística e Diagnóstico de Transtornos Mentais (DSM-5), desenvolvido pela Associação Americana de Psiquiatria e utilizado no Brasil, bem como em inúmeros outros países.

Para se ter ideia da complexidade do diagnóstico do TDAH em crianças, é necessário que haja a manifestação de no mínimo 6 sintomas de desatenção e/ou hiperatividade-impulsividade; e em adultos no mínimo 5. Só aí o médico passa a considerar o diagnóstico do transtorno de déficit de atenção e hiperatividade.

Hoje, já se sabe que o TDAH compreende uma lista com 18 sintomas, sendo nove deles relacionados à desatenção; 6 à hiperatividade; e 3 à impulsividade. É fundamental reforçar que a manifestação de um ou de alguns desses sintomas isoladamente e de forma pontual não caracteriza o diagnóstico do TDAH. Por isso, é preciso que pais, educadores e os profissionais de saúde responsáveis pelo diagnóstico do TDAH tenham bastante clareza de que é normal que as crianças, por exemplo, sejam bastante ativas ou certas vezes desatentas, e que isso não significa de forma alguma que tenham o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade.

Os sintomas do TDAH se dividem em três grandes grupos:

  • Desatenção;
  • Hiperatividade;
  • Impulsividade.

Essa tríade sintomatológica do TDAH, não precisa ocorrer necessariamente em conjunto, ou seja, pode haver predomínio de um deles, como desatenção, de hiperatividade ou, no maior grupo, um tipo de TDAH combinado, quando a criança apresenta tanto hiperatividade, quanto impulsividade e desatenção, além de ser mais frequente, esse grupo de pacientes são também o que apresentam mais prejuízos.

Abaixo, confira as principais manifestações do TDAH em cada etapa do desenvolvimento, lembrando que a manifestação pontual e/ou isolada de algum sintoma de TDAH descrito no quadro a seguir não significa de forma alguma que a criança, adolescente ou adulto tenha o transtorno

Fonte: este quadro é uma adaptação de Polanczyk e Rohde, 2012
Fonte: este quadro é uma adaptação de Polanczyk e Rohde, 2012-clicando 2x você consegue aumenta-lo

Procure um especialista no assunto, como psicólogos, neuropsicólogos, neurologistas e psiquiatras, para esclarecer de forma mais efetiva, caso haja a suspeita do TDAH. Fiquem atentos, pois a falta de um diagnóstico pode acarretar prejuízos irreversíveis para o individuo, pois se trata de uma doença em que acarreta consequências neurológicas, neuropsicológicas e emocionais.

REFERÊNCIAS

Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. DSM-V – 5ª Ed. 2014. 

Polanczyk e Rohde, 2012.

Views All Time
Views All Time
506
Views Today
Views Today
1

Comentários

comments