Os Sonhos e seus Significados: Sonhar com Casas

Os Sonhos e seus Significados: Sonhar com Casas

1118
Compartilhe

“Onde quer que viva esse é o seu templo, se o tratar como o tal.”  Buda

O que de fato pode representar os sonhos com casas?

Esse texto busca proporcionar compreensão geral a respeito dessa temática, desbravando os assuntos mais comuns em que este símbolo se mostra, contribuindo assim para o seu autoconhecimento através da Psicologia Analítica proposta por Carl Gustav Jung.

A CASA E SEU SIMBOLISMO EM SONHOS

O lugar em que nos sentimos seguros e acolhidos.

Onde moramos e temos permissão de sermos aquilo que de fato somos sem máscaras ou vergonhas.

É a nossa primeira busca quando a vida vem com pedras nas mãos que subitamente nos atinge. Sendo nossa mãe quando precisamos de colo e alento.

Existem aqueles que em suas memórias guardam dores e difíceis vivências acerca dela, se negando lembrar, e é porventura nessas que essa imagem mais se apresenta.

Em Psicologia Analítica, em que os sonhos ganham caráter fundamental, as casas se apresentam como símbolos comumente associados a nossa psique, os quais traduzem nada mais como nada menos que nós mesmos, logo, quando sonhamos com casas estamos sonhando conosco onde tudo que diz respeito à mesma diz respeito a nós.

Se ela se encontra suja, e isso nos chama atenção ao despertar, devemos nos perguntar: O que estou tendo dificuldade de retirar da minha vida? O que eu não consigo me livrar no momento? Serão pensamentos? Atitudes? Algum relacionamento que não me faz bem? Tudo isso e mais um pouco cabe nessa representação.

Casas inundadas sugerem que algum problema ou situação emocional nos afetou ao ponto de sermos inundados por essa questão e trazem em si a necessidade de reavaliarmos atitudes e decisões que estamos tomando diante da vida, tal como casas que estão completamente vazias, as quais nos falam do desejo de preenche- las com nossos objetos pessoais e ganharem nosso jeito, mostrando assim a oportunidade de nos modificarmos e sermos mais completos, deixando de lado as fragilidades e impotências que muitas vezes barram nosso desenvolvimento.

Casas da infância, aquelas que talvez só existam hoje em nossa memória, nos falam da necessidade de buscarmos algo que deixamos naquela época e que hoje temos necessidade de rever, seja a inocência diante da vida, amparo da família e até mesmo a negação hoje de nossas responsabilidades, sendo um símbolo muito conhecido e curioso quando os assuntos são os sonhos.

Casas assombradas nos mostram a necessidade entrarmos em contato com o aquilo que temos medo e buscarmos integrar situações em que nossa vida nos paralisa e que estão impedindo nossa evolução, possibilitando assim uma ampliação de consciência a respeito de quem somos e do que podemos mudar em nós mesmos.

Casas antigas falam muitas vezes do valor do que temos guardado há muito tempo, sejam talentos ou formas de pensar, que seriam úteis no momento, mas também podem representar o oposto disso, anunciando a precisão de deixarmos de lado posturas que estamos tendo há muito tempo e que estão nos prejudicando de alcançarmos as nossas conquistas.

Fonte: decorfacil.com

Em construção, as mesmas podem ser associadas a nossa própria construção, falando da importância de mudar e de nos refazermos todos os dias, onde essa modificação deve ser notado e vista como um processo que demanda tempo e energia.

Casas sem portas ou janelas apresentam as dificuldades em nos mostrarmos ao mundo, em que a nossa comunicação por vezes pode estar falhando ou não atingindo os objetivos necessários aos quais buscamos, trazendo a noção de que devemos olhar para essas questões e criamos novas possibilidades de nos relacionarmos com o mundo afora.

Em suma, pode-se perceber que o inconsciente utiliza os mais variados símbolos para nos dizer aquilo que de fato precisamos saber sobre a nossa vida, onde dentro desse o universo simbólico, a casa, aparece como uma das grandes produtoras de questionamentos.

Cabe lembrar que o significado de um símbolo possui inúmeras facetas e que nenhuma associação é reducionista, ou seja, não basta apenas saber o significado por alto do símbolo, mas sim e em todos os casos o associar as nossas primeiras impressões e a nossa relação histórica com o mesmo, podendo assim usufruir o que de fato nosso inconsciente quer ensinar.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

HALL, James A. JUNG E A INTERPRETAÇÃO DOS SONHOS- manual de teoria e prática. ed.Cultrix.2014.pg.160

JUNG, Carl G. O homem e seus símbolos. ed. Nova fronteira.2008.pg.447

MARIA, Neusa. Sonhar com casa, banheiro e cozinha- o que significa?.2009. pg.16

Views All Time
Views All Time
425
Views Today
Views Today
4

Comentários

comments

Compartilhe
AnteriorA Família e a Configuração de suas Composições
PróximoQuando o mau humor se torna doença – Distimia
Graduanda em Psicologia pela FSP- Faculdade Sudoeste Paulista, apaixonada por religião e afins, vidrada na saga Star Wars, amante de séries e literatura brasileira. Nas horas vagas toca piano e arranha no violão, além de tentar verse leva algum talento na escrita. Ah, possui grande afinidade pelas ideias de Carl G. Jung, desde o primeiro momento em que ouviu sobre as mesmas se tornando, ele, o dono de seu coração. Teve um flerte com Freud, algo de um semestre, mas permanece firme com o primeiro amor.