Você Sabe Sobre Qualidade de Vida no Ambiente de Trabalho?

Você Sabe Sobre Qualidade de Vida no Ambiente de Trabalho?

147
Compartilhe

Com o sistema econômico que rege o nosso país (capitalismo), o trabalho foi uma das formas que a sociedade encontrou para gerar renda. Todavia, quando pensamos no significado de trabalho para a sociedade, precisamos pensar também na saúde do trabalhador que dedica horas e horas do seu dia para uma determinada finalidade, ou seja, precisamos refletir sobre qualidade de vida no trabalho.

Chiavenatto (1999) diz que a qualidade de vida no trabalho refere-se à capacidade que os membros de uma organização têm de se sentirem satisfeitos quanto as suas necessidades pessoais através de sua atividade na organização, objetivando desenvolver um ambiente de trabalho apropriado tanto para os colaboradores como para a própria empresa. Porém, esta perspectiva é muito mais ampla do que atributos individuais e situacionais, ela é principalmente individual e organizacional, ou seja, as organizações não estão isentas de suas atuações sistêmicas, pelo contrário é preciso pensar de forma conjunta.

Assim, a construção da qualidade de vida no trabalho é pensada a partir do momento em que se olha tanto para a “saúde” econômica da empresa, como para as pessoas que ali trabalham, por um enfoque biopsicossocial*, uma vez que a qualidade de vida não interfere apenas no ambiente profissional, mas implica principalmente no campo familiar e social dos indivíduos.

*“Toda pessoa é um complexo biopsicossocial, isto é, tem potencialidades biológicas, psicológicas e sociais que correspondem, simultaneamente, às condições de vida.” 

Lipowsky (1986).

Entretanto, existem muitos fatores que influenciam significativamente a qualidade de vida no trabalho, como: a satisfação com as tarefas executadas; o relacionamento humano dentro do grupo e/ou da organização; o salário e os próprios benefícios oferecidos; o ambiente psicológico e físico de trabalho, enfim existe uma série de contribuições que corroboram com a falta de saúde do trabalhador. E cabe aos profissionais de psicologia atuar visando à importância da preocupação com o bem estar dos trabalhadores.

Nesse sentido, é imprescindível buscar alternativas para facilitar as mudanças no estilo de vidas das pessoas, uma vez que a carga laboral jamais deixará de existir na vida do ser humano, e qualidade de vida precisa ser vista como algo primordial.

Dentre muitas, cito algumas alternativas interessantes para desenvolver a saúde dos indivíduos no ambiente de trabalho:

  • A implantação de programas que visam gerar estratégias com o intuito de promover um ambiente que estimule e ofereça suporte ao indivíduo, no que tange as práticas de saúde e prevenção de doenças;
  • Ações que objetivam estabelecer o equilíbrio entre o trabalho, a educação, a saúde, a família, os amigos e o lazer, uma vez que estes fatores influenciam completamente na qualidade de vida do ser humano;
  • Identificar os fatores de risco, visando prevenir situações que geram estresse e tensões, a fim de resguardar a qualidade de vida;
  • Buscar intervenções para solucionar o estresse no trabalho, por exemplo, evitar que o trabalhador exposto ao estresse fique doente e utilizar técnicas que para acalmar os sintomas da tensão;
  • Buscar intervenções direcionadas aos funcionários expostos aos altos riscos tensões, com indicações de psicoterapia, por exemplo; e
  • Proporcionar assessoria nutricional, com orientações que contribua para uma alimentação saudável.

Deste modo, foi possível identificar que é preciso pensar o ser humano a partir da sua totalidade vida, e não apenas o indivíduo no ambiente de trabalho, uma vez que o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional traz satisfação para o sujeito em vários âmbitos de sua vida. E, consequentemente, favorece a sua saúde integral, bem como reflete no estado de harmonia da família e do convívio social.

“Escolha um trabalho que você ame e você nunca terá que trabalhar um dia em sua vida”. – Confúcio.

A mensagem de Confúcio é muito bonita e motivadora, mas não podemos deixar a carga do trabalho apenas nas mãos dos trabalhadores. As organizações também têm grandes responsabilidades perante a condição de saúde, e de vida, dos seus colaboradores, uma vez que o trabalho faz parte de uma necessidade de sobrevivência do ser humano, e é preciso (pelo menos) garantir a qualidade de vida da população que submete o maior tempo de sua vida para o trabalho. É preciso pensar em conjunto!

REFERÊNCIAS

ALBUQUERQUE, Lindolfo Galvão; FRANÇA, Ana Cristina Limongi. Estratégias de recursos humanos e gestão da qualidade de vida no trabalho: o stress e a expansão do conceito de qualidade de vida. Revista de Administração. São Paulo v.33, n.2, p.40-51, abr./jun. 1998.

CHIAVENATO, 1. Administração de recursos humanos: fundamentos básicos. São Paulo: Atlas, 1999.

FRANÇA, A. C. L.; RODRIGUES, A. L. Stress e trabalho: uma abordagem psicossomática. 4a. ed. São Paulo: Atlas, 2005.

LIPOWSKY, Z. J. Psychosomatic medicine: past and present. Can. J. Psychiatry, v 1, 1986.

Views All Time
Views All Time
1217
Views Today
Views Today
1

Comentários

comments

Compartilhe
AnteriorTodo Dia é um 7×1 Diferente
PróximoFilmes, Séries e Psicologia: Diário de uma Paixão (Nicholas Sparks) e suas Lições Sobre o Amor
Psicóloga, graduada pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atua na área clínica com: psicoterapia (individual, grupal e de casal) para crianças, adolescentes, adultos, idosos; Orientação Profissional (individual e grupal); Orientação Psicológica; Avaliação de Desempenho Escolar e de Aprendizagem; Orientação de pais; Consultoria escolar; e Avaliação Psicológica. Anteriormente, atuou como psicóloga em estágio na Defensoria Pública do Estado de São Paulo. Trabalhou como Assistente de Pesquisa Científica da Professora Doutora Geraldina Porto Witter, a qual realizou pesquisas na área de adoção e do sistema de garantia de direitos. Foi pesquisadora pelo Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), com enfoque em psicologia, educação, avaliação de desempenho e avaliação psicológica. Realizou estágios em: Hospital Colônia de Longa Permanência, Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI), Serviço de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes-SAICA (abrigo), Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, Hospital-Escola e Serviço-Escola. http://www.facebook.com/evelynpinheiro.psi