Reforma Psiquiátrica no Brasil

Reforma Psiquiátrica no Brasil

8626
Compartilhe

Este assunto está em alta no Brasil, muito usado em estudos de universidade e também em âmbito profissional como na área da saúde. A reforma psiquiátrica no Brasil foi muito importante para o avanço da humanização, na socialização e a quebra de pré-conceitos com as pessoas portadoras de transtornos mentais, muitas vezes rotuladas de loucas.

História da Reforma Psiquiátrica no Brasil (RESUMO):

cfp
Fonte: CRP

Antes de surgir a reforma psiquiátrica no Brasil, no início dos anos 70, foi criado o movimento Pró-Reforma Psiquiátrica no Brasil, contendo psicólogos, psiquiatras, profissionais e da saúde lutavam por um ambiente mais humanizado para as pessoas com transtornos mentais, pois eles eram tratados como loucos.          
  Após anos de luta, o movimento pró-reforma psiquiátrica no Brasil teve força, e em Abril de 2001 foi aprovada a tão esperada lei da Reforma Psiquiátrica, chamada de Lei Federal de Saúde Mental, número  10.216.

Objetivos da Reforma Psiquiátrica no Brasil:

A Reforma Psiquiátrica tem o objetivo de construir um novo modelo de estatuto social para os portadores de transtornos mentais, tendo o foco da humanização em hospitais hospitalares e redes extra-hospitalares (CAPS), mostrando seus direitos como identidade social e cultural.

Outro objetivo é retirar totalmente os manicômios (hospício), no no qual o nome causa um grande impacto para o doente mental e também para a sociedade e também não há humanização e os pacientes são internados por meses/anos e muitas vezes são esquecidos la dentro. Tendo o principal motivo como a exclusão social.

Diretrizes da Reforma Psiquiátrica:

eeeFonte: medicosnamidia

Conforme a proposta já citada na Reforma Psiquiátrica inclui Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), Centros de Convivência e Cultura Assistidos, Cooperativas de Trabalho Protegido (economia solidária), Oficinas de Geração de Renda e residências terapêuticas, descentralizando e subdividindo em territórios o atendimento em saúde, conforme previsto na Lei Federal que institui o Sistema Único de Saúde (SUS) no Brasil.

Os CAPS oferecem atendimento à população, desde infanto-juvenil até a terceira idade, os CCCA, CTP e as Oficinas de Geração de Renda são destinadas aos adultos na qual servem para auxílio de dependentes químicos, e para a inclusão social de qualquer tipo de portador de transtornos mentais (CCCA, CTP e Oficinas de Geração de Renda ainda não foram implantadas em todos os estados do Brasil, sendo assim, só alguns estados possuem esse tipo de proposta)

Conclusão:

Pode-se concluir que a reforma psiquiátrica no Brasil foi um marco muito importante para os profissionais da saúde, portadores de transtornos mentais, e também familiares, pois com a implantação da lei, a sociedade pode olhar sobre o assunto como algo positivo, e não como antigamente, no qual quem era portador de transtornos mentais era rotulado como “louco”, e em consideração às novas redes como, por exemplo, o CAPS, que retirou já muitos leitos em hospitais psiquiátricos, tendo o principal objetivo aos pacientes, o acesso à suas casas e não à internação e o esquecimento em leitos, logo, eliminando completamente os antigos manicômios.

 

Para referir este artigo: Santos, F. F. (2015). Reforma Psiquiátrica no Brasil. In. Mundo da Psicologia, Internet. Disponível em <http://mundodapsi.com/reforma-psiquiatrica-no-brasil/> 2015.

Referências: 
MESQUITA F. J,  NOVELLINO F. S. M, & CAVALCANTI T. M. (2010). A Reforma Psiquiátrica no Brasil: Um Novo Olhar Sobre o Paradigma da Saúde Mental, Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/Relatorio15_anos_Caracas.pdf, Recuperado em: 27 de Junho de 2015     

Views All Time
Views All Time
6148
Views Today
Views Today
2

Comentários

comments