Porque não nos comovemos com a Somália?

Porque não nos comovemos com a Somália?

436
Compartilhe

No dia 14 de outubro de 2017, aconteceu o maior atentado terrorista após o 11 de setembro. Foi na cidade de Mogadício, capital da Somália, deixando mais de 300 mortos. O ataque foi brutal, o número de mortos é assustador e trágico. E por acaso, sei lá, você ficou sabendo dessa notícia? Se a resposta é sim…Você se comoveu? E quando falo em comoção é tipo “Jesuis Charlie na foto do perfil do facebook.” E se a resposta é não…Você consegue entender como que uma notícia tão grave não conseguiu atingir os olhos e os corações do mundo inteiro?

No dia 7 de dezembro de 2015, o jornal satírico francês Charlie Hebdo, muito famoso por fazer críticas ácidas ao islamismo e outras religiões, é alvo de um atentado terrorista que marcou a história. Três homens invadiram a sede do jornal em Paris e assassinaram 12 pessoas e deixaram 11 feridas, tornando-se um dos ataques terroristas mais violentos da história da imprensa mundial.

 O jornal francês Libération, após o ocorrido, abre o seu site com a frase “Somos todos Charlie”(Em francês Je Suis Charlie), repetindo seu ato na capa do seu perfil no Facebook. Logo os franceses e os jornais locais manifestaram-se, depois foi a vez de países europeus, e em instantes aconteceu uma comoção mundial que tomou conta.

Somos todos Charlie, Je Suis Charlie.

Nas redes sociais pessoas e empresas trocaram os seus perfis lutando por um mundo mais democrático. Existia aplicativos que agregavam a foto do perfil com a frase “Je Suis Charlie”. Facebook, twitter, instagram e todo o tipo de rede social fez com que a comoção entrasse para a história como um marco.

A frase significava, que precisávamos mudar. Que todos nós temos o direito de sermos livres para expressarmos nossa opinião, e exercer, quaisquer que seja, os nossos direitos como seres humanos. Esse não foi o último atentado no mundo. Mas, socialmente falando, houve-se uma espécie de acordo verbal entre a humanidade: “A partir de agora, vamos nos unir, Je Suis, contra todo o tipo de atentado”. Tornando tal ataque, uma espécie de marco zero, sendo realmente significativo sobre esses tipos de apoios nas redes sociais.

E realmente aconteceu isso.

Como uma defesa da sociedade, nos uníamos em todas as comoções seguintes, seja no atentado em Las Vegas, como também na Inglaterra, Espanha e entre todos os outros que surgiram após o ataque contra o jornal Charlie.

Isso é magnifico, demonstra uma união, um manto sinergético que cobra toda a humanidade e nos leva para um único propósito:

Unidos…venceremos!

Porque não aconteceu isso nesse mês?

A verdade é que esse ataque não teve apoio da mídia, muito menos comoção nas redes sociais. O que nos faz pensar, que chegamos em uma nova era na humanidade…Onde realmente, o que importa, é o número de visualizações e curtidas. Os atentados citados acima, foram todos na Europa (Com exceção dos EUA), locais de certa forma bem midiáticos, seja pela imprensa ou pelas redes sociais, o que faz com que as vendas dessas notícias sejam mais atrativa$ e intere$$antes. Isso não acontece na Somália, não há uma distribuição midiática que possa lhe favorecer.

Devemos botar a culpa somente nas mídias?

Claro que não. O assunto não deu curtida, não rendeu visualizações pelo fato de não nos interessarmos. Será que é porque não se trata de um pais de continente rico e desejável por todos?  Moralmente falando, todos assumimos uma certa culpa em meio a tudo isso.

E aquele acordo? Cadê o Jesuis Somalia? Ainda não consigo acreditar que passará realmente em branco.

A história da Somália merece atenção e comoção mundial. Estamos falando de um país cuja história é ligada à guerra, terrorismo e pirataria no Oceano Índico. A seca extrema faz com que 6,7 milhões de pessoas, metade do país, precisem de ajuda humanitária urgente. Dessas, 275.000 crianças sofrem de desnutrição aguda severa. Então, em um uma matemática básica, assim que você terminar de ler esta frase existe a possibilidade de uma criança ter acabado de morrer. Atualmente, 739.000 pessoas precisaram deixar obrigatoriamente seus lares em busca de alimento e passaram a viver em campos de refugiados.

Os rios na Somália estão secos por culpa da falta de precipitações há quatro anos e previsões que indicam que na próxima estação de chuvas, que começa em outubro, nada irá mudar. Por isso, a situação nutricional e de acesso à água potável pode deteriorar-se gravemente. De secas a cada 10 anos, o país passou a sofrê-las anualmente e a falta de água limpa provocou a propagação de doenças como a cólera.

Se a situação não melhorar, o país enfrentará sua terceira declaração de estado de fome, após a de 1992 e a de 2011 que deixaram milhares de vítimas.

Nelson Mandela costumava dizer que devemos promover a coragem onde há medo, promover o acordo onde existe conflito, e inspirar esperança onde há desespero. Precisamos ajudar a Somália, quem sabe se nos unirmos de novo…a nossa comoção pode fazer isso.

#PelaSomália

Views All Time
Views All Time
3278
Views Today
Views Today
5

Comentários

comments