MUSICOTERAPIA – COMO A MÚSICA PODE SER USADA DE FORMA TERAPÊUTICA

MUSICOTERAPIA – COMO A MÚSICA PODE SER USADA DE FORMA TERAPÊUTICA

5671
Compartilhe

A musicoterapia é o ramo da ciência que estuda e tenta colocar em pratica formas terapêuticas que podem ser realizadas com a música e seus elementos (ritmo, harmonia, melodia, ruído, silêncio, etc). No Brasil, surgiu na década de 70 com o intuito de ampliar as formas educacionais e pedagógicas com o auxilio de novas formas de se pensar música.

Ao redor do mundo, surgiu com o aumento das guerras no século XX e como uma forma de tratar os pacientes com stress pós traumático desta época. Mas não se pode restringir o conhecimento musicoterapeutico à tão pouco tempo, isso por que, outras civilizações já utilizavam e acreditavam na música como forma terapêutica. Os gregos tinham a música como matéria obrigatória nas escolas e esta era utilizada como medicina para os tratamentos de enfermos. Biblicamente existia Davi, que tocava sua harpa para o Rei Saul ficar calmo.

Hoje, sabemos como nunca que uma música pode nos levar ao fundo do poço ou a um estado de euforia enorme. Em determinados momentos, basta ouvir uma música que ela simplesmente explica melhor tudo o que estamos sentindo, melhor do que se ficássemos horas tentando explicar com palavras. Com o avanço tecnológico, existem nos celulares mais modernos diversos aplicativos gratuitos nos quais as pessoas podem criar as suas listas de músicas preferidas, e assim não fica nem tão chato pegar ónibus para ir trabalhar ou estudar.

Você mesmo já deve ter passado por uma situação onde a música fez total diferença no momento, não é mesmo? Isso porque ela está presente na sociedade a muito tempo, tanto como forma de ritual, como forma de lazer e possui esse poder inerente de nos levar as mais variadas sensações físicas e emocionais.

Porém não basta ser gostoso ou fazer dançar para que possa existir uma faculdade na área, muito menos na área da saúde, onde a musicoterapia está inserida. Há uma diferença entre uma coisa ser terapêutica ou ser terapia, isso porque existem muitas coisas que podem ser terapêuticas para nós.aoseuspes

Fonte: Ao Seus Pés

Você já deve ter conhecido alguém que falou assim “Ah, até que eu gosto de lavar louça”, por exemplo. Isso é muito comum entre os mais velhos, minha avó sempre falava. Ela gostava de mexer com água, inclusive ela sempre colocava uma música (clássica) na cozinha e ficava feliz da vida lavando a louça (saudades vovózinha).

Mas nós não podemos dizer que nem o lavar a louça dela e nem a música que ela colocava na cozinha era terapia. Era terapêutico, disso não temos dúvida, mas não havia intenção de nenhum tipo de uso medicinal na música e muito menos no lavar dos pratos e talheres da família. Para que isso ocorra é preciso buscar um profissional qualificado, que conhecerá técnicas e as abordará de acordo com a demanda do paciente. Alguma das áreas em que um musicoterapeuta qualificado pode atuar são:

– Hospitais, clinicas ou centros de geriatria e gerontologia;

– Promovendo a reabilitação de dependentes químicos e a reintegração de menores infratores;

– Auxiliando estudantes com dificuldade de aprendizado;

– Contribuindo para melhorar a qualidade de vida de idosos e pacientes de doenças crônicas;

– No auxílio a pessoas com stress pós traumático, vítimas de acidentes ou situações de risco;

– Em sessões para ampliar o universo musical ou com fins de relaxamento e meditação;

– Na área de reabilitação motora; 

– No reestabelecimento das funções de acidentados ou de convalescentes de acidentes vasculares cerebrais.

guia fitness

Fonte: Guia Fitness

Em alguns países o curso chega a levar 8 anos para ser completado, como no caso da Alemanha, e é possível encontrar em qualquer hospital pelo menos um piano para sessões de musicoterapia hospitalar. Há um campo de pesquisa e de trabalho muito vasto no exterior para esse tipo de profissional. Porém também existem países onde para se atuar como musicoterapeuta só é necessário um curso técnico, ou algo do tipo.

Hoje no Brasil parece que estamos no meio do caminho, tanto em relação ao tempo de curso que, em média, nas universidades brasileiras leva 4 anos como em relação ao incentivo na área. De fato ainda não é um curso muito conhecido, apesar de ganhar cada vez mais espaço nas mídias sociais, no dia a dia da saúde pública e no consciente das pessoas.

Um dos maiores obstáculos dos alunos de musicoterapia no Brasil é aprender a formalizar uma explicação padrão para as questões da sociedade, pois quando comentamos o curso que fazemos, a primeira reação é de curiosidade, mas ela vem acompanhada de um tipo de preconceito único, que é o de que as pessoas acham que vamos tocar músicas com o único fim de relaxar o paciente. Não sei por que esse fenômeno acontece, apesar de também fazer parte das qualidades de um musicoterapeuta.

As previsões dos musicoterapeutas e o que todos esperam é que aconteça com a área o que aconteceu com a acupuntura de 10 anos para cá. A um tempo atrás, as pessoas achavam uma coisa muito estranha espetar agulhas no corpo para fins terapêuticos. Hoje em dia o que é raro é encontrar alguém que não acredite nessa medicina milenar que veio do oriente e que tem real poder de cura.aguia fluorita

Fonte: Aguia Fluorita

Curso:

Não é preciso ter conhecimento musical anterior para se entrar em uma faculdade de musicoterapia. Dentro da universidade haverá uma carga horária de música, pois é de suma importância que o musicoterapeuta tenha o domínio de pelo menos um instrumento. Haverá também matérias tanto do ramo artístico como do ramo das ciências. História da música, percepção musical e neuropsiquiatria são algumas dessas matérias.

Nas específicas, o estudante conhece os fundamentos da musicoterapia e suas principais técnicas e processos. O estágio e uma monografa ou TCC são obrigatórios para obter o diploma. As grandes universidades costumam manter clínicas e hospitais-escola, onde o bacharelando coloca em prática a teoria aprendida, em atendimento à comunidade.

As melhores escolas:

– GO. Goiânia 

– MG Belo Horizonte UFG

– MG. Mús. (musicoterapia) UFMG. 

– PR. Curitiba Unespar. 

– RJ. Rio de Janeiro CBM-CEU

– RS são Leopoldo EST. 

– SP São Paulo FMU

 

Artigo escrito ao som de:

SOJA – Jah Atmosfere/ Rasta Corage (Reggae) 

Damian Marley – Patience/ Nah mean/ Africa must wake up (Reggae)

Tihuana – De longe/ Um dia de cada vez (Rock)

Views All Time
Views All Time
2029
Views Today
Views Today
8

Comentários

comments