Não passei no vestibular, não tenho emprego, me sinto um peso. E...

Não passei no vestibular, não tenho emprego, me sinto um peso. E agora?

2123
Compartilhe
Fonte: caentrenospsicologos.com

Todo ano é assim, após um longo caminho pelo ensino fundamental e médio você se vê pronto para ingressar numa faculdade e quando chega o bendito dia de finalização do processo seletivo vem com ele uma bomba inesperada… CABUM! Você não passou.

–Como assim não passei? Eu achei que minha nota era boa!

Para o sistema, não. Alguém provavelmente lhe passou por 0,0001 de diferença em nota. E eu sei meu amigo, isso dói. E aos poucos começa a corroer por dentro. Veja, esse texto está sendo escrito  em abril de 2017, o que significa que já passou um “tempinho” que ocorreu os processos seletivos para ingresso em universidade e ainda assim, numa breve pesquisa no google, me deparei com perguntas que me preocupam:

“Tenho 19 anos e ainda não entrei na faculdade, será que serei o mais velho da turma quando entrar? Morrerei de vergonha se isso acontecer”.

“Vou fazer 25 anos e ainda não entrei na faculdade”

Como trata-se de um assunto que aparece em todos os anos, não me importei com a data que foram feitas as tais perguntas, fiquei preocupado somente com as pessoas que fizeram e com isso me deparei com uma pergunta que muitos devem fazer dia após dia. E agora?

“Fiz um sorriso amarelo,

Meus amigos entraram na faculdade, eu participei de suas comemorações, vi seus sorrisos e olhos brilharem por conseguirem! Enquanto, no mesmo processo seletivo que eles participaram, eu não cheguei à média…

Estou desempregado, não estou na faculdade, moro com meus pais e juro que não quero parecer um inútil. Eu não sou.

Mas, tenho certeza que meus pais acham isso… Eu to até procurando um emprego, quero fazer um cursinho para estudar, porém, é muito caro e não quero pedir para meu pai, não quero que ocorra aquela briga, fala sério, parece que sou até um fardo para eles. Eu sou?!

Não sei o que fazer não me sinto bem, parece que a vida lá fora está seguindo em frente enquanto fico andando em círculos dentro de casa, igual uma barata tonta, me sinto agoniado.

Você se sente assim?

Fonte: catho.com.br
Fonte: catho.com.br

Já me senti assim, por isso me dei o luxo de fazer uma pequena narrativa, uma leve história que muitos estão passando. Entendo o quanto é difícil, é um caminho complicado, será um longo ano. Então, resolvi escrever sobre toda essa turbulência que diversas pessoas vivem é algo que parece ser normal, mas, que se não houver uma leve atenção, pode tornar-se um problema chato.

“–Problema chato? Existe problema legal?”

“Calma, amigo leitor, estou querendo dizer que esse problema é tipo uma pedra no sapato…É CHATO”

Primeiro, quero que você entenda uma coisa:

A CULPA É SUA.

Essa parte dói. Tenho certeza que agora acertei seu coração. Mas, não podemos fugir dos fatos, era você que estava fazendo o enem. Foi você que não compreendeu a questão, errou na redação, e consequentemente não ingressou no que queria. Contudo, o ambiente antes desta prova pode ter lhe afetado, e gostaria que você soubesse disso! Principalmente se passasse sua vida estudando em escolas públicas, com estrutura precária, salas de aulas que nem professores possuem, e uma série de problema, nós começamos a perceber que a culpa talvez seja parcelada em diversas vezes. Você entendeu?  Oi? Estudasse em Particular? Veja meu amigo leitor, o ambiente não se resume ao estudo escolar, há diversos fatores que podem prejudicar seu desempenho numa prova. Problemas familiares, de saúde, cultural, social, ixiii olha quantas parceladas nós podemos fazer com essa culpa… Opa!Acabei de ter uma idéia! Vamos supor que a culpa seja a compra, as parcelas sejam possíveis culpados, o limite seja sua saúde (física e mental) e a fatura sua vida.

Com certeza a culpa é um valor muito alto que teremos que pagar. Ok?! Mas, chegamos à conclusão de que ela não é somente tua, umas séries de fatores podem ter causado e então eles devem pagar, e com isso parcelamos tudo no seu limite. Certo, agora a vida seguiu com essa fatura em suas costas, sendo paga aos pouquinhos pela sua recuperação de auto estima. Agora, imagina se você faz novas contas? A culpa de não ter um emprego; A culpa de estar perdido; a culpa da indecisão de escolha de profissão; e outras culpas que você possa imaginar, pegue todas e parcele em seu limite…Até que chegará em um momento que seu limite não cobrirá tanta dívida.

Só se você for um leitor rico, você automaticamente estragou minha teoria. Vai embora!

MENTIRA VOLTA AQUI! <3

É complicada, sua fatura (vida) não vai aguentar. Então é por isso que não precisamos assumir tantas culpas, sabemos que esse momento é desesperador, mas o foco precisa ser restaurado, sua auto estima não pode baixar. É difícil acreditar somente nas minhas palavras, não sei  o que estás passando, mas, meu amigo, vai por mim, a vida sempre segue. E se não conseguires entrar agora na faculdade, saiba que tens não somente o outro ano para tentar… Tens mais oitenta anos, noventa anos, até quando sua sanidade mental permitir! Trabalho? Calma, fica ligado em tudo que as oportunidades vão conseguir e quando te chamarem para uma entrevista você precisará estar determinado! Pra isso, esteja sempre mantendo sua cabeça erguida após um resultado negativo, tenha orgulho de ser quem eis! Um ser único nesse mundo, que assim como qualquer um, tropeça.

Fonte: eueabete.com.br
Fonte: eueabete.com.br

E vou te dizer algo que muitos têm medo de dizer, não importa quando entrares e como vai entrares na faculdade… Apenas entre! Entrou no curso que queria, mas não era na faculdade que queria? DANE-SE! O que importa é que ingressasse.

Entrou num curso que não era o preferido, para tentar uma reopção depois? Ai, isso vai demorar muito…

DANE-SE! Entrasse na faculdade, e mesmo que eu não entre no curso que eu desejo, daqui só saiu com diploma! OBS: Muito importante, quando entrar numa universidade, a vida muda e até mesmo seu desejo por aquele curso pode mudar esteja preparado para essa mudança, e sei que estou lhe pedindo para ingressar de qualquer modo, mas saiba que precisas fazer isso somente se tiveres amor pelo curso que estás.  Não vale a pena se formar sem amor pelo o que estudas.

Não consegui um emprego ainda…

Pergunte pro seu pai se não podes trabalhar com ele! Pergunte pra sua mãe a mesma pergunta. Limpe a casa! Mostre que estás vivendo ali e quer ajudar, olhe no fundo dos olhos da sua mãe e diga:

HEY MAMY, O JOGO SÓ ACABA AOS 45 MIN DO SEGUNDO TEMPO.

E logo em seguida pegue uma vassoura!

E se tua mãe e pai não lhe garantirem um emprego, pode ter certeza que podes achar algo para fazer em sua casa. E se mesmo assim não achares nada na sua casa… FAÇA VOLUNTARIADO! Existem diversas oportunidades que podem te ocupar e te garantir uma experiência que servirá para o resto da sua vida.

Não tenho dinheiro para o cursinho…

Vou te ensinar, essa é a principal dica… Existe um mecanismo de busca que inventaram recentemente, tal de glogle, gluglue, puts! Como é que se pronuncia mesmo? Ah! Lembrei Google. Dizem que faz maravilhas, e você pode encontrar toda a matéria de um pre vestibular nele. E se não for o suficiente, existe um outro mecanismo de reprodução de vídeo que inventaram recentemente que pode te ajudar, é o tal de iutube(Youtube) que possui diversas vídeos aulas bacanas E É TUDO DE GRAÇA.  O MEC – Ministério da Educação – também disponibiliza cursos e material gratuito, basta pesquisar lá no tio Google.

Então você pode se programar para ajudar em casa, estudar, trabalhar, se divertir com os amigos, tem tempo, pois, ele não some! Está sempre em sua volta, inclusive as oportunidades. Estamos em abril, isso significa que não é nem a metade do ano. Há muito para ser feito, muita bola ainda vai rolar. Todos os dias quando acordares faça uma pergunta para si mesmo: “O que posso fazer de melhor por mim hoje?” “O que posso fazer pelos outros hoje?” Aposto contigo, que se fizerem essas perguntas, sempre ficarás em constante atividade.  Erga sua cabeça e corra atrás, caso contrário a culpa será realmente sua, e ai não adianta me mandar e-mail, porque eu não farei outro texto sobre isso. E posso te garantir que teu limite de crédito não é tão alto.

Brincadeiras aparte, esse assunto é muito difícil para quem está passando por isso. Eu sei disso, pois, passei esses apertos e por isso me vejo no dever  de avisar que isso tudo é uma fase.  Você vai conseguir, e por mais que tenha muitas dificuldades e que o mundo lhe coloque mais e mais problemas… Acredite em sí mesmo, porque você vai conseguir! É só compreender que na vida não conseguimos colocar o peixe direto no prato, primeiro devemos aprender a pescar.

Ainda está confuso? Queres conversar? Alguma dúvida? Eu posso te ajudar. Entre em contato pelo e-mail pablofsalomao@hotmail.com.

Views All Time
Views All Time
561
Views Today
Views Today
1

Comentários

comments