Filmes, Séries e Psicologia: Diário de uma Paixão (Nicholas Sparks) e suas...

Filmes, Séries e Psicologia: Diário de uma Paixão (Nicholas Sparks) e suas Lições Sobre o Amor

431
Compartilhe

“Por detrás de um grande amor está uma grande história.”

Diário de uma Paixão

 Um romance regado de extrema emoção que perpassa o tempo e nos ensina sobre a maturidade e o amor verdadeiro, assim pode se começar a dizer sobre esse grande Best- Seller do aclamado autor Nicholas Sparks.

Enquanto Duke, um idoso carismático, lê para uma das pacientes vítimas de um dos quadros mais severos de Alzheimer em uma clínica geriátrica, é que o desenrolar da paixão de Noah Calhoun e Allison Nelson é contado.

Mas o que de fato essa história pode nos ensinar?  O que a Psicologia pode dizer? Ela pode nos trazer diversas lições sobre a vivência humana, em especial o amor, abarcando em si todo o vasto campo da ciência psicológica a qual é singular ao abordar os mais variados temas.

É o olhar sob Noah e Allie que podemos refletir sobre nossas ações e aprender um pouco mais diante da vida. E sobre isso apresento três valiosas lições sobre essa grande trama:

1) Lição sobre o amor: O fundamento do amor é a relação… E todo relacionamento é uma construção!

“Não será fácil. E teremos de nos empenhar a cada dia. Mas quero fazer isso porque te quero. Quero tudo de ti, para sempre, você e eu. A cada dia.”

Ao adentrarmos ao mundo as questões acerca das relações com os outros são antes de tudo primordiais. Sendo graças a essas que a construção da nossa identidade é firmada. Assim os relacionamentos não são objetos inanimados, mas sim obras com vida que dependem diariamente de nosso cuidado e atenção.

No decorrer da história, seja no filme ou no livro, podemos perceber que o relacionamento de Allie e Noah começa de uma forma juvenil e com grande irresponsabilidade, característica da idade, mas que no decorrer da trama a maturidade e a profundidade ganham destaque, salientando a ideia de Carl Gustav Jung: O encontro de duas personalidades assemelha-se ao contato de duas substâncias químicas: se alguma reação ocorre, ambos sofrem uma transformação.

É a partir do tempo que se passa e da vivência de novas situações que possibilitou a ambos um novo encontro, o retomar do relacionamento que havia sido formado e a transformação ainda por acabar que havia sido iniciada tempos antes e que os aguardava, incitando em nós duvidas sobre a qualidade das nossas relações e de como elas estão sendo firmadas ocorrendo sempre à possibilidade de mudança.

2) Lição sobre o amor: A liberdade de sermos aquilo que somos/queremos em um relacionamento é a nossa maior conquista!

“- Posso ser o que você quiser. Diga o que quer que eu seja e eu serei.
– Você é um tolo.
– Por que não?”

Ser o que de fato se é, sem reversas e medos é uma das grandes características dessa história na qual ambos os protagonistas se mostram no decorrer da trama como são, com suas fragilidades, seus pontos fortes e como tudo isso afeta o rumo do relacionamento, abrindo a brecha para refletirmos se estamos dispostos em nossas vidas a nos mostrar ao outro, a vivermos o amor da forma que ele se apresenta e se conseguiremos correr os riscos necessários para alcançarmos o que temos como verdade sobre isso.

O amor só é vivido com a retirada de nossas projeções e idealizações, entendendo antes de tudo quem somos.  E o que coloca Carl Rogers em seu pensamento ilustra bem essa colocação: Aceitar-se a si mesmo é um pré-requisito para uma aceitação mais fácil e genuína dos outros.

3) Lição sobre o amor: É necessário retirarmos os entulhos de nossa alma para o amor fazer morada!

“(…) As pessoas fazem isso por três motivos: ou são loucas, ou são estúpidas, ou estão tentando esquecer. E no seu caso eu sabia que era para tentar esquecer. Só não sabia o quê.”

Algo observado na trajetória de Noah é sua persistência. Persistência em conquistar Allie, persistência em lutar pelos seus ideais. A possibilidade de Allie voltar a sua vida e de ambos viverem o grande amor, só possível porque ele decidiu recomeçar, claro que não de um dia para o outro, mas sim aos poucos.

Isso nos mostra que para o amor fazer morada em nossa vida, é de grande importância ter a consciência de mudança, a vontade de deixarmos o passado em seu lugar e persistir naquilo que verdadeiramente queremos, retirando o que não é necessário, mas aprendendo com os mesmos.

Carl Gustav Jung nos mostra isso ao dizer: “Sua percepção se tornará clara somente quando você puder olhar para dentro de sua alma.”.

Três difíceis lições que devem ser olhadas diariamente em nossos relacionamentos para assim o amor ser a nutrição de nossos dias e o grande amparo nos momentos de crises.

“Não sou nada especial; disso estou certo. Sou um homem comum, com pensamentos comuns e vivi uma vida comum. Não há monumentos dedicados a mim e o meu nome, em breve, será esquecido, mas amei uma pessoa com toda com toda a minha alma e coração e, para mim, isso sempre bastou.
Os românticos chamariam isso de uma história de amor, os cínicos diriam que é uma tragédia.”.

(Diário de uma Paixão)

Views All Time
Views All Time
2747
Views Today
Views Today
1

Comentários

comments