Fatores Importantes da Primeira Infância que Influenciam no Desenvolvimento da Criança

Fatores Importantes da Primeira Infância que Influenciam no Desenvolvimento da Criança

655
Compartilhe

A primeira infância está caracterizada entre a gestação e a faixa etária de zero a seis anos de idade. Olhar para o desenvolvimento dessa fase é de suma importância, uma vez que as experiências advindas deste período influenciarão no bem estar físico, emocional e cognitivo da criança, e consequentemente, refletirá em toda a sua trajetória de vida e construção da subjetividade.

Nesse sentido, cinco pontos precisam ser levados em consideração:

1) Desenvolvimento integral: este tópico tem a ver com a integralidade da criança dentro do seu processo de desenvolvimento. Ou seja, refere-se ao desenvolvimento físico, social, cognitivo e emocional, bem como aos processos de aprendizagem, de crescimento, de maturação e de aquisições significativas.

Além disso, parte do desenvolvimento integral, perpassa pelas transformações estruturais, em que a criança passa a ter relação sensorial e perceptiva com o mundo. Como por exemplo, o processo de andar e falar, onde o indivíduo passa a interagir com o ambiente, e o seu mundo começa a abrir-se para uma nova gama de significados.

2) Individualidade e subjetividade: quando se fala sobre estes dois fatores, é preciso pensar no processo de constituição e pertencimento do indivíduo, pois tal construção ocorre pela integração e desenvolvimento de características adquiridas socialmente, e geneticamente transmitidas, desde os elementares momentos da primeira infância.

3) Exposição ao mundo das regras: podemos abordar este quesito como a apresentação para as crianças ao mundo de espaço e de tempo. Em que dentro dele há limites, disciplinas e horários, que vão fazendo parte da rotina das crianças. Como a hora do sono, do banho, da alimentação, enfim costumes que começam a organizar o cotidiano e, consequentemente, o mundo da criança.

4) Investimento: este é um tópico que daria para abordar sozinho em outro texto, já que, dele, saem milhares de questões que necessitam de constantes discussões. Falo aqui do investimento dado a criança desde a gestação, com pré-natal e os devidos cuidados desse momento; bem como das responsabilidades que não partem apenas dos pais, mas também do estado que deve prover políticas públicas voltadas para a melhoria e qualidade da saúde maternal e infantil. Assim como o dever dele em arcar com o desenvolvimento de estratégias para uma educação de qualidade, sendo este de extrema importância para o desenvolvimento e evolução do ser humano e do mundo.

Assim, é possível obter efeitos positivos na saúde integral da criança, no desenvolvimento/desempenho de vida dela e no rendimento escolar, quando começar a fazer parte de sua rotina. Gerando condições necessárias para a regressão das desigualdades e das negligências que afetam consideravelmente o desenvolvimento infantil.

5) Brincar: o brincar é uma das melhores ferramentas para o alcance do desenvolvimento saudável e da educação integral da criança. A atividade lúdica proporciona a ela um mundo que esteja acima do real, além de favorecer a criatividade, a afetividade e o vínculo (quando a criança brinca com outras pessoas).

Ainda, aos olhos da psicologia, quando a criança brinca ela é capaz de criar e estruturar situações imaginárias, bem como reviver momentos que para ela ainda são difíceis de entender e de elaborar.

6) A busca pela independência: a criança é dependente dos seus responsáveis em vários aspectos – o que é totalmente normal –. Uma vez que não só ela, mas o ser humano em si necessita de cuidados físicos, psíquicos e emocionais. Porém, tais atitudes não podem ser confundidas com passividade, fato que muitas vezes ocorre, devido às considerações errôneas por crer que as crianças, em sua primeira infância, ainda estão impossibilitadas de serem ativas. Pelo contrário, o ser humano tem a capacidade de processamento cognitivo desde a infância, e ele vai se desenvolvendo a partir do seu crescimento e do seu contato com o mundo.

Deste modo, é imprescindível que a família, os educadores, a sociedade, os psicólogos e os demais profissionais, olhem para o que a criança pode, sabe e quer fazer, bem como para o que ela quer mostrar, nos diferentes momentos de sua vida. Uma vez que estes são aspectos importantíssimos para a valorização do desenvolvimento das crianças nos primeiros anos de vida. Anos estes refletem significativamente em todas as fases da vida do ser humano, sobretudo nos primeiros 20 anos, em que nos preparamos para a grande jornada do tornar-se adulto.

Views All Time
Views All Time
4135
Views Today
Views Today
325

Comentários

comments

Compartilhe
AnteriorDesvendando a Psicologia: Respondendo Dúvidas Frequentes
PróximoComo você tem lidado com seus sentimentos?
Psicóloga, graduada pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atua na área clínica com: psicoterapia (individual, grupal e de casal) para crianças, adolescentes, adultos, idosos; Orientação Profissional (individual e grupal); Orientação Psicológica; Avaliação de Desempenho Escolar e de Aprendizagem; Orientação de pais; Consultoria escolar; e Avaliação Psicológica. Anteriormente, atuou como psicóloga em estágio na Defensoria Pública do Estado de São Paulo. Trabalhou como Assistente de Pesquisa Científica da Professora Doutora Geraldina Porto Witter, a qual realizou pesquisas na área de adoção e do sistema de garantia de direitos. Foi pesquisadora pelo Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), com enfoque em psicologia, educação, avaliação de desempenho e avaliação psicológica. Realizou estágios em: Hospital Colônia de Longa Permanência, Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI), Serviço de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes-SAICA (abrigo), Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, Hospital-Escola e Serviço-Escola. http://www.facebook.com/evelynpinheiro.psi