A Atuação do Psicólogo no Contexto Hospitalar

A Atuação do Psicólogo no Contexto Hospitalar

42019
Compartilhe

Resumo: Psicologia Hospitalar é a prática do psicólogo dentro do contexto hospitalar, o Psicólogo Hospitalar utiliza-se da teoria e prática da Psicologia da Saúde. É extremamente importante o trabalho do psicólogo no âmbito hospitalar, alguns motivos que levam a dar essa importância, como por exemplo: O impacto do adoecera necessidade de hospitalizaçãonecessidade de procedimento cirúrgicodiagnóstico de uma doençapré-óbito e pós-óbitocuidados paliativosatenção aos familiaresentre diversos motivos.

Palavras-Chave: Psicologia da saúde; Psicologia Hospitalar; Atuação; Hospital; Adoecimento; Condutas.

Esse artigo tem como o objetivo de mostrar um pouco a você a atuação do Psicólogo Hospitalar, subdividindo tópicos referentes à suas condutassetores de atuação do profissional no hospital e suas maneiras de atuação.

 

Psicologia Hospitalar é a mesma coisa que Psicologia da Saúde? A resposta é: não.

 

  • Psicologia da Saúde

Segundo Matarazzo, a Psicologia da Saúde agrega o conhecimento educacional, científico e profissional da disciplina da psicologia, para utilizá-lo na promoção da saúde, na prevenção e no tratamento da doença, na identificação da etiologia e no diagnóstico relacionados à saúde, à doença e às disfunções, bem como no aperfeiçoamento do sistema político de saúde.

  • Psicologia Hospitalar

Psicólogo Hospitalar é um psicólogo especialista, no qual está inserido no contexto hospitalar, atuando em instituições de saúde e utilizando-se de sua prática, promovendo melhor qualidade psíquica e comportamental de pacientes, familiares e também da equipe multidisciplinar.

 

Atuação do Psicólogo Hospitalar:

De acordo com a definição do órgão que rege o exercício profissional do psicólogo no Brasil (CFP), o psicólogo especialista em Psicologia Hospitalar tem sua função centrada nos âmbitos secundário e terciário de atenção à saúde, atuando em instituições de saúde com o objetivo tratar os aspectos psicológicos frente ao adoecer, realizando atendimento psicoterapêutico, podendo ser utilizado de diversas condutas:

  • Avaliação Psicológica de pacientes e familiares;
  • Suporte de pacientes, familiares e também da equipe de saúde;
  • Acolhimento;
  • Acompanhamento terapêutico de pacientes e familiares.
  • Evolução de Prontuário (Manual ou em Sistema)
  • Protocolos realizados pela equipe de saúde

a) Podendo atuar em diversos setores no hospital, como por exemplo:

  1. Atendimentos em ambulatório;
  2. Atendimentos em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), UTI Pediátrica, Semi-Intensiva e Neo-Natal;
  3. Pronto Atendimento (Pronto-Socorro Adulto, Obstetrícia, Infantil, Emergência)
  4. Enfermarias em geral (Adulto e Pediatria)
  5. Centro Médico Cirúrgico (Pré operatório/Pós operatório)

b) O Psicólogo Hospitalar também pode trabalhar de diversas maneiras no contexto hospitalar como:

  • Grupos Terapêuticos;
  • Cuidados Paliativos ¹
  • Sistema de Plantão;
  • Visita Multidisciplinar*;
  • Grupos de psicoprofilaxia**; Atendimentos em ambulatório e unidade de terapia intensiva; pronto atendimento; enfermarias em geral;
  • Interconsulta***;
  • Programas de Humanização;
  • Entre outros.

¹ Cuidados Paliativos: A prática do psicólogo referente ao Cuidado Paliativo deve ser realizada mediante à uma especialização de Cuidados Paliativos.

* Visita Multidisciplinar: São reunidos representantes de cada equipe multidisciplinar (médicos, enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, etc) do respectivo setor passando em todos os leitos e discutindo sobre cada paciente, é escolhido um determinado horário para a passagem da junta, na maioria das vezes no período da manhã.

** Grupos de psicoprofilaxia: Muito utilizado no contexto da obstetrícia, no qual refere-se à preparação psicológica da mulher grávida para tornar o parto indolor.

*** Interconsulta: A interconsulta psicológica é um instrumento utilizado pelo profissional para compreender e aprimorar a assistência ao paciente no hospital geral

 

Para finalizar, também quero enfatizar o que o psicólogo não deve fazer quando está inserido no contexto hospitalar.

O que o Psicólogo NÃO faz:

  • Psicólogo Hospitalar NÃO concede nenhuma notícia referente ao diagnóstico do paciente;
  • Psicólogo Hospitalar NÃO informa notícia de óbito aos familiares, e sim dá um suporte e acolhimento;
  • Psicólogo Hospitalar NÃO pode fornecer cartão de sua clínica para pacientes e familiares, a menos que solicitem;
  • Psicólogo Hospitalar NÃO pode interferir na conduta médica ou de qualquer equipe;
  • Psicólogo Hospitalar NÃO aplica teste psicológico, raras as exceções.

 

Referências:

  1. ANGERAMI – CAMON, V.A. O Ressignificado da Prática Clínica e suas Implicações na Realidade da Saúde. In Angerami-Camon, V. A. (org.). Psicologia da Saúde – um Novo Significado Para a Prática Clínica. São Paulo: Pioneira Psicologia, 2000, p. 07-21.
  2. CHIATTONE, H. B. C. A. Significação da Psicologia no Contexto Hospitalar. In Angerami-Camon, V. A. (org.). Psicologia da Saúde – um Novo Significado Para a Prática Clínica. São Paulo: Pioneira Psicologia, 2000, pp. 73-165.
  3. Código de Ética Profissional do Psicólogo. Brasília: CFP, 2005. Disponível em: <http://www.pol.org.br/pol/cms/pol/legislacao/codigo_etica>. Acesso em: 2 abril. 2015.
  4. GAZOTTI, T.C. ; PREBIANCHI, H.B. (2014). Caracterização da interconsulta psicológica em um hospital geral. Psicologia: Teoria e Prática (Impresso) , v. 16, p. 18-30.

 

Views All Time
Views All Time
19922
Views Today
Views Today
19

Comentários

comments

Compartilhe
AnteriorANIMAÇÃO DE FACULDADE EXPLICA “O QUE É A PSICOLOGIA?”
Próximo6 DICAS PARA PARAR DE FUMAR: ABANDONE O VÍCIO
Estudante de Psicologia pela Universidade São Judas Tadeu. Cursando o ultimo ano de graduação - Núcleo Clínica Cognitiva Comportamental. Aprimorando e Plantonista do Serviço de Psicologia no Hospital São Luiz – Anália franco, monitor do Programa Sala de Espera Humanizada no Pronto-Socorro Infantil. Estagiário do Serviço de Psicologia na Clínica Prisma - Hospital-Dia. Colunista do Blog Mundo da Psicologia. Sou apaixonado pela psicologia da saúde e hospitalar, pretendo me especializar em Psico-oncologia.