5 Dicas e Vantagens de Dizer “NÃO”

5 Dicas e Vantagens de Dizer “NÃO”

338
Compartilhe

Não diria que falar “sim” para tudo é um comportamento aprendido, pois depende da história de vida do indivíduo e também o ambiente em que está inserido, porém acredito que seja algo que ao longo dos anos é reforçado (de diferentes formas) um ideal de si pela criança e na maioria dos casos levado para a vida adulta.

O comportamento de recusar um pedido ou mesmo impor limites nas relações é uma tarefa complicadíssima. Isso acontece, pois essas pessoas não suportam frustrarem os Outros, tendo como base dessa intolerância ao sofrimento do Outro, a culpa em que sentirá por não ter atingido a expectativa da outra pessoa, ou seja, em seu inconsciente, não estarão agindo de acordo com o seu ideal (o que chamamos de “eu idealizado”) criado de si mesmo, sendo de uma pessoa perfeita, de serem sempre os “Mocinhos/boazinhas” da história, os prestativos e os sempre disponíveis, o que na realidade esconde um complexo de inferioridade e uma baixa-autoestima.

Pessoas que não se impõe estão vulneráveis para desenvolverem relações não saudáveis, o que na maioria das vezes resulta em relações abusivas e não estou dizendo só em âmbito amoroso, como em todos os ambientes, no qual a pessoa está inserida. Logo, se tornando pessoas vulneráveis, são pessoas que se colocam em risco na maioria das vezes, como por exemplo: uso de drogas, álcool, lugares que normalmente não iriam e não são adequados e etc.

A importância de dizer não é pelo respeito a si mesmo, ás suas vontades e limites. Além de que, pessoas que não sabem dizer não, são pessoas que se privam muito, pois ao dizerem sim, contra a sua vontade, estão dizendo não para si mesma.

Lembrem-se, as pessoas só fazem conosco aquilo que permitimos, então não adianta fazerem o que não querem e reclamarem, a responsabilidade não é do Outro e sim sua por não impor limites, ou seja, se não permitimos, não fazem. O “não” trás junto dele: autenticidade, amor-próprio, equilíbrio emocional, autoestima e sensação de bem estar.

O que caracteriza uma pessoa que nunca diz não as outras?

Untitled-2

– Sempre muito prestativas, disponíveis, dependentes, inseguras, carentes e que não questionam nenhuma situação. Sendo pessoas muito compreensivas, até em situações que não há motivo para compreensão.

São aquelas pessoas vistas como “companheiras/parceiras”, sendo descritas como: “pro que der e vier”. Além de serem pessoas passivas, sem opinião e que concordam com tudo o que os outros falam, digamos que aquelas pessoas vistas como: “maria vai com as outras”, ou seja, pessoas que não tomam e possuem iniciativa.

Como dizer não? Como aprender a dizer não?

Dizer não todo mundo sabe, até as pessoas que não dizem “não” dizem, a única diferença é que essas pessoas só priorizam o “não” para si mesmas, pois a prioridade de agradar alguém está vinculada ao Outro.

As pessoas só aprendem a dizer um não autêntico, quando se priorizam e se respeitam.

Dicas para conseguir dizer o tão temido “não”:

1- ao receber um convite impróprio, saiba se posicionar

2- Se priorize em todas as situações. Se pergunte se a situação está sendo boa para você também.

3- Se não sabe dizer “não” diretamente, peça um tempo para pensar.

4- Lembre-se, se a pessoa não sabe ouvir não, não reforce o lado mimado dela, pois você não estará ajudando o Outro, além do problema e a necessidade do “sim” não ser sua.

5- Negocie. Em muitas situações podemos flexibilizar o que é melhor para ambos os lados, quebrem a falsa crença de que para ser bom, alguém tem que se sacrificar.

As vantagens de dizer não, são: 

1- Você não tem que fazer as coisas por obrigação

2- Você deixa de se sobrecarregar concretamente e emocionalmente.

3- As situações se tornam menos angustiantes.

4- Você se torna uma pessoa mais coerente.

5- Você não irá lidar com as más consequências sozinho(a).

Views All Time
Views All Time
952
Views Today
Views Today
2

Comentários

comments

Compartilhe
AnteriorHipnose Para Medos e Traumas – Método Eficaz?
PróximoPerdeu o Emprego? Saiba o que Fazer!
Psicóloga formada pela Universidade Metodista de São Paulo. Se especializando em Neuropiscologia pelo Centro de Neurologia da Faculdade de Medicina da USP e há quase 3 anos trabalha no enfoque clínico na região do ABC Paulista. Admiradora, apaixonada e grata pela Psicologia, tendo como um de seus maiores objetivos, propagar informação e conhecimento em torno dessa profissão tão encantadora